Doenças Psicossomáticas


As emoções podem estar aumentando os sintomas da sua doença.

Há doenças que nos chegam de surpresa e nos dá tempo para assimilar. Mas existem muitas situações em que o contexto geral nos impossibilita de assimilar as características, riscos e

condução propícias à terapia coadjuvante ao tratamento do mal diagnosticado.

O papel das emoções nas doenças do corpo não é novo, mas são mais recentes em nosso país o uso de técnicas para combater os efeitos negativos sobre o nível mental e emocional causados não só pela doença em si, como também pelos não desprezíveis efeitos da alta dosagem de química contida no tratamento médico.

Existem 4 tipos de emoções básicas:

1. Medo: essa emoção nos permite evitar o perigo precavendo-se com mais cuidado. Pode, portanto, ser positiva. Ele se torna negativo quando for excessivo e duradouro.

2. Ira: é a emoção mais comum nos momentos em que nos sentimos atacados por algo ou alguém.

3. Alegria: Você tem algo, você realizou um sonho. Então, você está preenchido com a emoção de alegria. É uma emoção importante, no entanto, quando excessiva, não é recomendada.

4. Tristeza: Quando se perde algo valioso ou alguém nos deixa para baixo. Sente-se triste e começam a se manifestar sintomas específicos relacionados com a tristeza.

Emoções e doença

A medicina, por séculos, passou por muitas fases. Até o início do século XIX, a maioria dos profissionais acreditava que as emoções estavam ligadas à doença. Mas com o tempo, eles começaram a determinar outras causas, como bactérias ou toxinas e, portanto, medicamentos como antibióticos também se relacionavam a ela..

Recentemente, uma nova pesquisa descobriu a estreita relação entre estresse e saúde. A conexão mente-corpo ou o impacto que as causas mentais, emocionais e sociais têm sobre o corpo permitiram a aplicação de novas técnicas passíveis de pelo menos reduzir seus sintomas.


Técnicas Utilizadas
Terapias